segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Mundo acadêmico em tempos de web 2.0: Academia.edu e ResearchGate.net

A web 2.0 já é uma realidade bastante difundida no nosso cotidiano. As redes sociais e as novas formas de  interação homem-máquina mudaram a forma como se constroem os ambientes que utilizamos online.

O mundo acadêmico também foi influenciado por essa mudança significativa de comportamento e no modo de fazer as coisas. Prova disso são duas ferramentas que irei mostrar hoje. Elas são bastante interessantes e vêm sendo cada vez mais utilizadas pelos pesquisadores brasileiros não só da área de educação em ciências como as demais áreas também: são os sites ResearchGate.net e Academia.edu.

Em linhas gerais, podemos dizer que ambas as ferramentas são tipos de redes sociais voltadas ao mundo acadêmico. O que irei fazer aqui é falar um pouco sobre alguns recursos interessantes presentes nestas redes e que podem ser úteis no momento da pesquisa.

Endereço: www.academia.edu

O site academia.edu é uma rede social bastante simples de ser utilizada. Para começar, o seu cadastro pode ser feito em integração com o Facebook. Portanto, se você possuir um perfil no Facebook, poderá aproveitar as informações lá para fazer o seu cadastro no academia.edu. Tal facilidade pode ser utilizada também no momento do login, de forma que você pode entrar no site utilizando o login do facebook. Caso este já esteja logado, a entrada é instantânea.

A ideia do site é que cada pesquisador possui um perfil e pode adicionar informações pessoais e, principalmente, publicações. A cada publicação enviada para o servidor do site, é possível categorizar com algumas "etiquetas" de assunto. Alguns exemplos: "Chemical Education", "Science Education", "Epistemology", ou mesmo em português: "livros didáticos", "ensino de ciências", etc.

Além disso, podemos "seguir" interesses e pessoas. Isto é, se você se interessa pelo trabalho de algum pesquisador, é possível ir à página dele e clicar no botão "Follow". Assim, a cada publicação que for colocada no ar por ele, você será notificado. Quanto ao interesse, suponha que você seja interessado no tema "Ensino de Química". Assim sendo, basta pesquisá-lo na caixa de busca do site; a busca vai mostrar todas as pessoas que se interessam naquele tema. Clicando em em "Follow Ensino de Química", você passa a seguir este interesse. 
Isto é importante porque existe um feed de notícias logo que se faz login no site. Este feed mostra as principais publicações que foram enviadas ao site e categorizadas com os temas que você está seguindo. Neste feed também é mostrada a atividade recente das pessoas que você segue.

Existe ainda um potente mecanismo de auditoria das visitas ao seu perfil e aos seus artigos, onde é possível saber quantas vezes seu perfil e artigos enviados foram visitados, estatísticas ao longo do tempo sobre as visitas, bem como dados gerais de perfil dos visitantes.

Com todos estes recursos, o site tem um potencial para funcionar como uma grande rede de pesquisas, aumentando a colaboração entre os pesquisadores e a velocidade no fluxo de informações.


O site ReasearchGate é ainda mais robusto que o academia.edu. Ele possui recursos muito parecidos com o primeiro e também permite aproveitar informações pessoais do Facebook. No entanto, o cadastro é restrito aos pesquisadores que possuem um email institucional, ao contrário do academia.edu, que permite a inscrição de pesquisadores independentes. Em linhas gerais, os conceitos básicos de funcionamento de ambas as redes sociais são muito parecidos.

Dentre as ferramentas extras do ResearchGate, algumas chamam atenção com a busca automática por publicações. O sistema busca publicações que parecem ser suas (com base nos dados de autoria) e lhe dá a opção de incluir o artigo, bem como enviar uma cópia do paper e convidar os coautores para utilizar a plataforma.

O site possui recursos de cálculo da "reputação" dos pesquisadores, com base em sua participação na comunidade. Há também uma ferramenta interessante que permite a criação de discussões dentro das áreas que você "segue". Podem ser discussões muito boas porque muitas vezes envolvem diversos pesquisadores do mundo todo, com visões diferentes. Como no academia.edu, você pode seguir pessoas e interesses e ser notificado de novas publicações dos atores seguidos. No caso de publicações que o autor não enviou uma cópia do texto para o servidor do site, você pode requerer diretamente ao autor uma cópia do manuscrito, caso não possua acesso à revista, o que amplia o leque de acesso a publicações internacionais, principalmente.

Eu diria que a grande vantagem destas plataformas é a possibilidade de obter artigos de revistas cujo acesso é restrito e receber em tempo real notícias sobre novas publicações de interesse (que às vezes não foram publicadas sequer online ainda!), além de poder divulgar suas próprias publicações a uma comunidade. E como toda rede social, quanto mais pessoas utilizarem efetivamente, maior o poder de alcance e de benefícios aos usuários da rede. Um outro recurso interessante, que é mais presente no ResearchGate por enquanto, é a possibilidade de criação de discussões, que pode render boas reflexões aos participantes.


E você? É usuário de alguma dessas redes? Quer deixar sua opinião ou complementar informações?
Sinta-se livre para comentar!


Até a próxima,

Cristiano B. Moura

Nenhum comentário: